terça-feira, 10 de julho de 2007

lembranças.

Verão. A estação do sorriso, do abraço, dos pés descalços, do beijo, da liberdade. Enfim...

Estava em Jericoacoara. Janeiro, um sol de rachar e, ao meio dia - sim, sei que isso não se faz, não é saudável, mas era verão - saio de casa, rumo a uma padaria tomar o meu café da manhã -sim, café da manhã, almoço no verão é as seis da tarde -.
Chego na padaria, toda dismilingüida de tanto calor e mais cansada ainda, porque as ruelas são de areia, muito bonito e romântico, mas péssimo para os preguiçosos. Vou até o balcão, sento num banquinho e peço um queijo quente. A moça me pergunta:

-queijo quente completo, é?
Eu respondo:
-sim, completo.

Alguns minutos depois, eis que chega o meu queijo quente completo: queijo, presunto, ervilha, maionese, alface e tomate. Assustada, chamei a moça e disse que queria apenas um pão com queijo. Ela me diz:

-mas, minha fia, tu me pediu completo.
Eu digo:
- eu sei, moça, mas para mim o queijo quente completo seria apenas com pão e queijo. É possível trocar?
A moça:
- é sim, mas vocês paulistas são muito estranhos.

Pensei: eu estranha? Olha o que vem num simples queijo quente e, estranha sou eu? ai ai.

Quanta ingenuidade a minha.
Imaginem se eu pedisse um misto quente.

tsc tsc tsc
.

4 comentários:

renata. disse...

-
delícia de palavras cômicas. kkkkkkkk
quando não é nossa, toda cultura é estranha.
néam?

amo!

Dan. disse...

Fuçei no seu blog, seguindo links a partir do blog de Isabela. mas pelo jeito acertei. Seus estilos de escrita me agradam.

Quanto ao queijo quente, a 'completude' do prato deveria estar no nome: 'queijo'+'quente' significaria desta forma esquente um queijo e sirva.

Mas nesse mundo onde o significado das coisas vai se esvaziando, tentam preencher as velhas coisas com absurdos que elas nunca seriam, não fosse esse esvaziamento de sentido.

passarei aqui mais vezes. =)

isabela cordaro disse...

adorei esse texto, amorinha.
muito mesmo!

Joyce Angélica disse...

=]
ahahahah
adorei!