domingo, 8 de julho de 2007

penada.

Sempre quis juntar as pecinhas do quebra-cabeça.
Agora, quando começo conseguir...quero fechar os olhos e e espalhar todas as peças, para bagunçar e perder tudo. Estou começando a ver coisas que não quero enxergar.
Pela primeira vez bateu uma vontade de ser alienada de tudo. De mim. Do mundo. Acho que assim, não haveria dor. Aliás, não haveria dor nem alegria. Não haveria nada. Seria um viver vazio. Porém, queria me alienar sem viver no vazio. Muita confusão aqui dentro. Tô perdida. Com medo. Sem achar um rumo para seguir. Sem saber seguir. Queria ver sem enxergar, ou como diz, Alberto Caieiro: saber ver sem estar a pensar.
Todinha murcha.

3 comentários:

André Luis Sant'Ana disse...

ouch, as vezes é bom esquecer o mundo la fora, e ficar a sós, criar um mundo só nosso...
ou melhor, traga as pessoas que deseja p'ro seu mundo :)

fique triste não moça ^^
e parabens pelos textos,
lindos, lindos ^^

renata. disse...

-
inzi,
xô tristeza!

o melhor é pensar que depois de toda tempestade,
vem a calmaria.

sossegue esse coracinha. e dê um sorriso.
um beijo meu pra te abraçar.

Joyce Angélica disse...

eu tu, deixava essa tristeza de lado e vinha me abraçar.

amo tu.

xô tristeza, xô.