quinta-feira, 29 de maio de 2008

sem rococó.

Hoje não quero usar palavras bonitinhas. Têm dias que o bom e velho palavrão traduz um estado de espírito (quase de porco), melhor do que qualquer palavra adornada. Eu poderia substituir a palavra com símbolos (@#$%&*), feito quadrinhos, mas não. Não ia adiantar. Então, aqui está, o que preciso gritar pra ver se me escuto e paro com algumas liazices quase infernais (e vitais). 'Que cagada, Lia. Que cagada.' Foi tão feia que estou quase me parabenizando por tal feito.

9 comentários:

Briza disse...

caram.
foi grave.

Morganna disse...

ow, yeah!
apoiado o uso de palavrões sempre que necessário. sempre.

Violeta disse...

pelo menos serve pra desbafo, nénão?
.
:*

Emely disse...

Ainda bem que existem as BENDITAS ou MAlditas Palavras!

hehehe

=* Bjus

{camille} disse...

Ah, Lia, a gente faz um monte ao longo da vida. Não é consolo, eu mesma quero morrer toda vez que faço alguma. Mas quem não erra, não tá vivo. O lance é aprender com as cagadas.
(sobre o twitter, basta você apertar follow. eu estou na lista das pessoas que te seguem né? aperta o follow do lado da minha foto. acho que só isso mesmo).
bj.

Laís disse...

Põe pra fora irmã!!!

Tbm é uma forma de tratamento...Não somos obrigadas a dar sorrisos em dias de sol se nós estamos em chuva..Engraçado que ontem, eu falei pra minha amiga que gostaria que meu gênio fosse todo o tempo, aquele gênio da TPM...Que nada nos amedontra e ninguém...Mas, porém, não é assim, e se fosse tbm...sei-lá...

Vamos por pra fora!



bjão-zão

:)

Liana disse...

é. tem vezes que dá vontade de se esmagar pra não sair coisa feia da boca. mas a boca só fala o que o coração está cheio. pra colocar pra fora.

Dani disse...

ahh... acontece, né?!
beijinho!

Aline disse...

E por aqui... Eita porra!