segunda-feira, 24 de setembro de 2007

é muito?

Eu só queria um carinho espontâneo.
Que não fosse calculado, pedido, obrigado e, muito menos, culpado.

Carinho que chegasse sem hora marcada, data ou validade.
Que aconchegasse.

Carinho que não precisasse de palavras.
Que viesse com aquele silêncio que alimenta.

Carinho que ocupasse o deserto do meu peito.
Que fosse dado de coração.

E mais nada.

5 comentários:

renata. disse...

-
eu coloco no colo e faço cafuné, assim, de graça!

=))

la fleur disse...

tome

(L)

Pipa disse...

=*

=*

=*

[ ] =]

:o)

=*

lia. disse...

eita!
quanto carinho bom :))

beijos em todas
*=

Carol disse...

Oi! Ó o beijo pra você:
:*