quarta-feira, 12 de setembro de 2007

quereres.

Assim como o Guardador de Rebanhos, gostaria que meu olhar fosse nítido como um girassol. Que os meus olhos não andassem tão doentes de tanto pensar. Que eu acreditasse que amar é a eterna inocência e que a única inocência é não pensar.

Já pensei assim um dia, mas hoje, não penso mais.
Retirei a lente que havia em meus olhos e, não acho outra que se encaixe.

Uma exaustão que não passa nem dormindo.

Eu só queria um pouco de clareza e paz no meu coração.
Nem que seja por 10 minutos.

4 comentários:

renata. disse...

-
e são tantos calares, quereres, falares. essas coisas de amor são difíceis de falar, boas de sentir e ruins de esquecer. deixam a gente meio assim, fora de órbita. mas uma hora você se acha, tenho certeza!

=))

beijos de amor!

Pipa disse...

querida lia,

Também ando sofrendo dessa exaustão que não passa nem dormindo. Triste de saber que meus olhos não possuem mais essa lente que fazia tudo ficar mais bonito. Andava procurando a paz em todos os lugares e ao redor de mim, mas só o que a gente vê é tanta coisa feia e triste, que a paz não se acha.
Acho que a gente tem que tentar procurar essa paz e essa clareza dentro da gente mesmo, no nosso coraçãozinho. =] Acreditando a gente consegue. um beijo grande!

Diana Valentina disse...

Essa lentezinha todo mundo perde né?
Não queria não, queria ainda enxergar as coisas com mais beleza, mas não tem dado.

lia. disse...

moças bonitas do meu coração!